Procura-se

Sindojus se reúne com delegado responsável pelo caso da oficiala Maria Araújo de Mesquita, que continua desaparecida

Ícaro Gomes Coelho informou que o inquérito continua em andamento. Dez pessoas foram ouvidas e será solicitada a quebra de sigilos bancários à justiça. Desaparecimento foi registrado no dia 17 de fevereiro

23/08/2021
Foto: Sindojus Ceará

O caso da Oficiala de Justiça aposentada Maria Araújo de Mesquita, de 68 anos, desaparecida desde o dia 17 de fevereiro, segue sem desfecho. Para saber como está o andamento das investigações, o Sindicato dos Oficiais de Justiça do Ceará (Sindojus-CE), acompanhado do advogado da entidade, Tibério Costa Lima, participou, na última quinta-feira (19), de reunião com o delegado Ícaro Gomes Coelho, no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Ele informou que o inquérito continua em andamento e, pelo tempo de desaparecimento – já são 182 dias de angústia e incerteza –, trata-se de um caso típico fora da curva.

De acordo com o delegado, pelo menos dez pessoas já foram ouvidas. Será solicitada a quebra de sigilos bancários junto à justiça. Foi coletado também material genético do filho da oficiala, Ferdinando Aragão, que reside em Brasília.

Resposta

Ícaro Gomes Coelho explicou que o caso requer cautela e, por esse motivo, algumas informações não poderiam ser repassadas, para não atrapalhar as investigações. Bastante solícito, ele se colocou à disposição do sindicato para prestar esclarecimentos a qualquer momento. Ciente da aflição dos familiares, amigos e colegas de trabalho, assegurou que o caso não ficará sem resposta.

O prazo para conclusão de inquérito previsto no Código de Processo Penal é de 30 dias. O delegado, no entanto, afirmou que esse prazo será elastecido quantas vezes forem necessárias e logo que as investigações permitirem, a partir de dados concretos, será emitido relatório.

Suporte

O presidente Vagner Venâncio destaca que, desde que tomou conhecimento do desaparecimento da oficiala aposentada, imediatamente o Sindojus oficiou o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) comunicando o ocorrido. A entidade colocou a Assessoria Jurídica à disposição da família e, visando a dar suporte no que for necessário aos familiares e à categoria, vem mantendo contato com as autoridades competentes. A entidade está em contato com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS) e em breve fará uma visita institucional para tratar sobre o desaparecimento da oficiala.

A entidade vem atuando também na publicização do desaparecimento de Maria Araújo de Mesquita por meio de matérias publicadas nos meios de comunicação do sindicato (site e redes sociais), além do envio de releases à imprensa, com cobertura também pela mídia tradicional. O caso foi destaque, inclusive, no quadro “A falta que você faz”, do CETV 1ª Edição, no dia 11 de março.

A diretora dos Aposentados, Margarida Brasil, reforça que o sindicato está acompanhando o andamento das investigações e, apesar do longo tempo de desaparecimento, continua na esperança de que a oficiala venha a ser encontrada.

“É muito triste a gente ver uma colega, logo depois de se aposentar, passar por uma situação dessa. Ela era uma pessoa ativa, não tinha nenhuma doença que pudesse causar esquecimento. Pedimos a Deus que ela apareça. Mesmo que tenha acontecido o pior, nós precisamos descobrir o que aconteceu. O sindicato está trabalhando ativamente para chegarmos a um desfecho”, frisou.

Se você tem qualquer informação sobre o paradeiro de Maria Araújo de Mesquita ligue para os números: (85) 3257.4807 ou (85) 98701.2901

oficiala de JustiçaaposentadaMaria Araújo de MesquitaDHPPdesaparecimentoÍcaro Gomes Coelhoprocura-sereuniãoSindojusdiretoriaSindojus Ceará
SIGA-NOS:

Deixe seu Comentário

Você deve estar logado para fazer um comentário. Clique aqui para entrar.