O SINDOJUS

Fundado em 28 de dezembro de 1992, o Sindicato dos Oficiais de Justiça do Ceará (Sindojus) completou, no dia 28 de dezembro de 2017, 25 anos de luta. Inicialmente utilizava a sigla Sincojust, passando a se chamar, em abril de 2011, Sindojus, após a realização da 2ª reforma estatutária. Dessa forma, encerravam-se as atividades da Associação Cearense dos Oficiais de Justiça (Acojust), após 20 anos de atividade.

Por ocasião da criação do sindicato, a sede ficava no 3º andar do edifício do Fórum Clóvis Beviláqua, situado à Praça da Sé, s/nº. Em 1998, foi transferida para a Rua Castro e Silva, nº 121, sala 300, Edifício Oriente, bairro Centro. Atualmente, está situado à Rua Adolfo Moreira de Carvalho, 46, bairro Edson Queiroz, em imóvel próprio, adquirido pela entidade.

Conquistas 

Ao longo da sua militância política, a entidade obteve conquistas históricas que possibilitaram uma maior qualidade de vida, com melhorias salariais e condições mais dignas de trabalho à categoria. Entre as muitas vitórias registradas, destaca-se: a obrigatoriedade de nível superior exclusivo para bacharéis em direito, a implantação do Plano de Cargos e Carreiras e Remuneração (PCCR), a isonomia salarial, a unificação da nomenclatura para Oficial de Justiça e a criação do Fundo Especial de Custeio das Despesas com Diligências dos Oficiais de Justiça (FECDOJ).

Hoje, o Sindicato dos Oficiais de Justiça do Ceará é referência nacional como exemplo de sindicato forte, de luta, o que só foi possível graças à unidade da categoria e à garra de lideranças que dedicaram muitos anos de suas vidas em prol da classe.

Presidentes

Raimundo Nonato Lima Filomeno foi o primeiro presidente da entidade. Eleito ainda na época da Acojust, foi durante a sua gestão que a associação ganhou status de sindicato, passando a ter legitimidade para representar a categoria. Naquele momento, foi eleita uma diretoria provisória, cujo prazo era de um ano (1993). Terminado esse período, Filomeno foi reeleito para o biênio 1994-1996.

José Edmilson Silva de Paula foi o segundo presidente, eleito para o biênio 1997-1999. Em seguida assume João Batista Fernandes, que permaneceu durante três mandatos consecutivos – de 2000 a 2008. Em 2009, quem toma posse é Mauro Xavier de Sousa. Naquele momento, o período do mandato passou de dois, para três anos. Reeleito em 2012, Mauro foi o presidente até maio de 2015.

Em junho de 2015, assume Francisco Luciano dos Santos Júnior, que ficou à frente do sindicato no período de 2015 a 2018. Em julho de 2018, toma posse Francisco Vagner Lima Venâncio, eleito para o triênio 2018-2021. Reeleito para o segundo mandato consecutivo, Vagner Venâncio é o atual presidente da entidade e representará a categoria até 2024.

A batalha não para por aí. Apesar dos avanços conquistados ao longo dos anos, muita luta ainda precisa ser travada na defesa dos direitos da categoria. Nos últimos concursos, novos oficiais e oficialas assumiram, renovando o espírito de luta ao lado daqueles que fizeram história na categoria dos Oficiais de Justiça do Ceará.

Mandatos

28/12/1992 – Data de fundação do Sindicato dos Oficiais de Justiça do Ceará (Sindojust), durante a gestão de Raimundo Filomeno;
1993 – Raimundo Nonato Lima Filomeno toma posse pelo período de um ano;
1994/1996 – Raimundo Nonato Lima Filomeno;
1997/1999 – José Edmilson Silva de Paula;
2000/2002 – João Batista Fernandes de Sousa;
2003/2005 – João Batista Fernandes de Sousa;
2006/2008 – João Batista Fernandes de Sousa;
2009/2012 – Mauro Xavier de Sousa;
2012/2015 – Mauro Xavier de Sousa;
2015/2018 – Francisco Luciano dos Santos Júnior;
2018/2021 – Francisco Vagner Lima Venâncio;
2021/2024 – Francisco Vagner Lima Venâncio.

Resgate da história

Informativo “A Citação”, publicado em novembro de 1981 pela Associação Cearense de Oficiais de Justiça (Acojust), o qual à época tinha como presidente José Olavo de Norões Ramos, vice-presidente José Laerte da Rocha, tesoureiro Raimundo Viana Costa, secretário Fábio de Almeida e diretor de promoção Francisco de Sousa Filho.

Nele constam registros fotográficos da festa de lançamento, da confraternização natalina e uma homenagem a Francisco Flósculo Barreto. O informativo aborda temas como a carreira do Oficial de Justiça e as perspectivas futuras, o artigo “Detetive particular na atualidade” e nota de Nonato Filomeno, cujo título era “Exaltação a um jornal”. Por ocasião de seu lançamento, o Poder Judiciário tinha à frente o desembargador José Ferreira de Assis e José Almir de Carvalho como diretor do fórum.

Confira o informativo na íntegra AQUI.