Participe

Servidores realizam o Dia de Luta em Defesa da Reposição Salarial

O ato, que faz parte da agenda de lutas do Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais, será realizado amanhã (1), às 8h, no Palácio da Abolição

31/07/2019
Artes: Sindojus Ceará

Servidores públicos estaduais das mais diversas categorias realizam amanhã (1), às 8 horas, no Palácio da Abolição, o Dia de Luta em Defesa da Reposição Salarial. A mobilização faz parte da agenda de lutas definida na última reunião do Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais (Fuaspec), realizada no dia 18 de julho, na sede da Fundação Sintaf. No encontro foram tratadas as estratégias que serão executadas, sendo a principal delas o Dia de Luta em Defesa da Reposição Salarial, a ser realizada no primeiro dia útil de cada mês.

Mesmo com superávit de mais de R$ 4 bilhões nas contas do Estado, só no governo de Camilo Santana o acumulado de perdas salariais já soma 20,64%. Dessa forma, o dia de luta tem como objetivo ampliar a mobilização dos servidores públicos e denunciar a política de achatamento salarial do atual governo. Cada entidade deverá mobilizar a sua categoria com intuito de levar o maior número de servidores possível para o ato de 1º de agosto.

Convocação

Vagner Venâncio, presidente do Sindicato dos Oficiais de Justiça do Ceará (Sindojus-CE), destaca que é de fundamental importância que a categoria some forças e se una a todos os servidores públicos do Ceará para que, neste 1º de agosto, realize uma grande manifestação em defesa da reposição inflacionária e do seu poder de compra. “Estamos juntos, vamos firmes com todos os oficiais e oficialas de Justiça. Convoco a categoria e os demais servidores estaduais para que amanhã a gente realize essa grande manifestação, a partir das 8h, em frente ao palácio da Abolição”, reitera.

Tony Távora, presidente do Sindicato dos Servidores do Ministério Público do Estado do Ceará (Sinsempece), afirma que a situação fiscal do Estado está equilibrada, portanto, não há justificativa para a negativa da revisão salarial, que nada mais é do que a reposição da inflação. Ele acrescenta que, diante da inércia do Estado em repor essas perdas, se o servidor não estiver mobilizado e pressionar poderá ficar mais um ano sem a preservação do poder aquisitivo de seu salário.

Com relação a outros estados, observa o diretor de Organização do Sindicato dos Fazendários do Ceará (Sintaf), Lúcio Maia, o Ceará está financeiramente bem, com arrecadação própria e ganho real. “Tem dinheiro em caixa e a reposição salarial é uma obrigação do Estado. Existe uma lei específica que trata disso e o governo tem que repor o poder aquisitivo do servidor público, ele não pode se negar a isso”, frisa. O representante dos fazendários reforça a importância de todos se fazerem presentes ao ato de 1º de agosto e diz que somente com muita mobilização e luta o governo se sensibilizará para receber a diretoria do Fuaspec e negociar a reposição.

A Lei nº 14.867, de 25 de janeiro de 2011, garante a revisão salarial dos servidores no dia 1º de janeiro de cada ano.

Serviço:
Dia de Luta em Defesa da Reposição Salarial
1º de agosto
8 horas
Palácio da Abolição (Av. Barão de Studart, 401 – Meireles)
Ponto de encontro: Cruzamento da Avenida Barão de Studart com a Rua Tenente Benévolo

Oficiais de JustiçaCamilo SantanaSindojusreajustecorreção salarialservidoresatolutaconvocaçãomobilizaçãorevisãoPalácio da Abolição1º de agostoDia de Luta em Defesa da Reposição Salarialreposiçãosalarialgoverno

Deixe seu Comentário

Você deve estar logado para fazer um comentário. Clique aqui para entrar.