Rede de proteção

Sindojus realiza a primeira reunião da Comissão Corrente da Vida

O pontapé inicial das ações a serem desenvolvidas será a realização de uma palestra ministrada pelo tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Edir Paixão, em Quixadá

20/05/2022
Fotos: Sindojus Ceará

O Sindicato dos Oficiais de Justiça do Ceará (Sindojus-CE) realizou, na última quarta-feira (18), na sede da entidade e por videoconferência, a primeira reunião da Comissão Corrente da Vida, formada por representantes da entidade e Oficiais de Justiça voluntários. O encontro contou com a participação de Edir Paixão, tenente-coronel do Corpo de Bombeiros e mestre em saúde pública pela Universidade Federal do Ceará (UFC), que estuda e atua na identificação e intervenção de pessoas em risco de suicídio; da promotora de Justiça Karine Leopércio, coordenadora do Programa Vidas Preservadas do Ministério Público do Ceará (MPCE); da psicóloga Ninara Araújo, do Ministério Público; do presidente Vagner Venâncio; do diretor Jurídico Carlos Eduardo Mello; e dos Oficiais de Justiça Adriano Macatrão, da Ceman de Fortaleza; e Carla Barreto, da comarca de Beberibe.

A Comissão, criada a partir da perda trágica de um Oficial de Justiça no ambiente de trabalho, tem como objetivo desenvolver, juntamente com uma equipe multidisciplinar, ações estratégicas visando a preservar vidas. O pontapé inicial será a realização de uma palestra ministrada por Edir Paixão voltada não só para Oficiais de Justiça, mas todos os servidores e colaboradores do fórum da comarca, assim como o público em geral. O evento será no dia 15 de junho, às 14 horas, em Quixadá.

Foto: Reprodução/Sindojus Ceará

Será realizado também, em data a ser definida, o curso Guardiões da Vida, em articulação com o Programa Vidas Preservadas do Ministério Público, visando à prevenção do suicídio. A capacitação terá três horas de duração e ao final será emitido certificado aos participantes. O treinamento será levado a todas as regiões do Estado, a partir de um cronograma que em breve será divulgado, para capacitar oficiais e oficialas nessa grande rede de proteção em defesa da vida.

Ainda como parte das ações está a elaboração de uma cartilha específica para os Oficiais de Justiça, destacando a importância da saúde mental, os sinais de alerta e com dicas de como acolher pessoas que estão passando por algum tipo de sofrimento.

A diretoria do Sindojus se reuniu no dia 11 de maio com a presidente do TJCE, desembargadora Nailde Pinheiro, para tratar sobre a saúde mental dos servidores do judiciário.

Tratativas

A saúde mental de servidores do judiciário foi tema, no dia 11 de maio, de reunião da diretoria do Sindojus com a presidente do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), desembargadora Nailde Pinheiro, quando foram iniciados os diálogos a respeito das medidas a serem tomadas pela administração no sentido de preservar vidas. A proposta é de quem sejam criados pela administração protocolos para os casos críticos, o que deverá ser feito por meio de resolução ou portaria, para que se torne uma política institucional e não apenas um projeto de gestão, assim como um acompanhamento especializado por parte da Coordenadoria de Saúde Ocupacional do TJCE.

Karine Leopércio, promotora do MP, informou que será protocolado um ofício à presidente do TJCE colocando o Programa Vidas Preservadas à disposição da administração do Tribunal de Justiça. “O primeiro caminho é o da sensibilização para que a instituição possa ter uma pauta permanente sobre o tema”, disse.

“A doença não é um insucesso, ela é algo normal, todo mundo adoece, mas quando se trata do emocional ainda há um estigma muito grande. A doença psiquiátrica precisa de um acompanhamento maior, mas não tem nada a ver com fracasso. Fracasso é não ter tratamento”, destaca a promotora de Justiça Karine Leopércio

Ela reforçou a importância de, neste primeiro momento, ser prestado suporte especial aos casos mais críticos, com acolhimento inicial e encaminhamento para ajuda profissional. “Muitas vezes a pessoa acha que não há necessidade dessa ajuda profissional, mas quanto mais ela procurar ajuda mais vai conseguir fortalecer o emocional. A doença não é um insucesso, ela é algo normal, todo mundo adoece, mas quando se trata do emocional ainda há um estigma muito grande. É diferente da doença física que a pessoa tira uma licença de um mês, recupera-se e volta. A doença psiquiátrica precisa de um acompanhamento maior, mas não tem nada a ver com fracasso. Fracasso é não ter tratamento”, frisou.

Agradecimentos

O presidente Vagner Venâncio agradeceu ao Ministério Público pela disponibilidade para construir essa corrente em defesa da vida e, em especial, ao tenente-coronel Edir Paixão, que desde o lamentável fato vem prestando suporte à diretoria, o que tem feito toda a diferença na atuação da entidade junto à categoria dentro dos três pilares por ele passados: compaixão, esperança e conexão.

A primeira reunião da Comissão Corrente da Vida foi realizada no formato híbrido (presencial/virtual).

“Vamos pôr em prática as ideias trazidas nesse encontro para que a gente possa dar essa contribuição à saúde mental não só dos Oficiais de Justiça, mas de todos que fazem o Poder Judiciário, quer no Ministério Público, na Defensoria, advocacia, junto à magistratura e nós servidores”, observou.

Saúde mental

Depressão é coisa séria. É preciso falar sobre isso. Sensação de vazio ou tristeza, falta de vontade de realizar atividades que antes lhe davam prazer, falta de energia e cansaço constante, irritabilidade, dores e alterações no corpo, insônia, perda de apetite, dificuldade de concentração, pensamento de morte ou suicídio, abuso de álcool e drogas e lentidão são alguns sintomas da doença. Caso se identifique com alguns deles, procure ajuda profissional e lembre-se: para todo problema há solução.

Em Fortaleza, esse apoio é prestado pelos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) e por unidades como o Hospital de Saúde Mental Professor Frota Pinto (HSM) e o Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC). É feito atendimento também no Programa de Apoio à Vida (PRAVIDA) da Universidade Federal do Ceará (UFC): (85) 3366.8149 e (85) 98400.5672. E de forma remota pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), por meio do número 188 ou pelo site www.cvv.org.br.

Nos casos de urgência e emergência, deve-se acionar a Polícia Militar do Ceará (PMCE) pelo 190, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no 192 ou o Corpo de Bombeiros Militar do Ceará (CBMCE) no 193.

suicídioOficiais de JustiçaComissão Corrente da VidaSindojusCorrente da VidaTJCErede de proteçãoSindojus Cearáem defesa da vidatreinamentoGuardiões da VidaVagner VenâncioVidas PreservadascursoKarine LeopérciopalestramultiplicadoresMPCEdesembargadora Nailde Pinheiro
SIGA-NOS:

Deixe seu Comentário

Você deve estar logado para fazer um comentário. Clique aqui para entrar.