Previna-se!

Sindojus apoia o Outubro Rosa e alerta para a prevenção ao câncer de mama

Em alusão à campanha, o Sindojus homenageia as Oficialas de Justiça que venceram o câncer de mama

08/10/2020

O mês de outubro é marcado pela campanha internacional de conscientização e de prevenção ao câncer de mama: o Outubro Rosa. A doença é o segundo tipo mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), somente em 2020, há uma estimativa de que mais de 66 mil novos casos da doença sejam confirmados no país. A campanha Outubro Rosa é um alerta sobre a prevenção e a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama.

O Sindicato dos Oficiais de Justiça do Ceará (Sindojus-CE) apoia essa iniciativa e, em nome das mulheres que enfrentam ou já se recuperaram da doença, homenageia as Oficialas de Justiça Auri Marta Rabelo Cunha Freire e Ielva Stela, lotadas na comarca de Fortaleza. Elas venceram o câncer de mama e contam histórias de superação e cura da doença.

Auri Marta fazia exames regularmente e os resultados eram sempre normais. No final de 2015, durante o autoexame, sentiu um nódulo no seio esquerdo e, poucos meses depois, recebeu o diagnóstico de um câncer, faltando alguns dias para completar 43 anos. Segundo ela, no início, foi muito difícil aceitar a notícia e sentir de perto a finitude da vida. Uma de suas maiores preocupações era com o filho, que na época tinha 10 anos. Com o passar dos dias, a fé e a esperança se fortaleceram. “Os sentimentos negativos deram espaço à gratidão e vi o quanto era abençoada por estar tendo uma chance para lutar pela minha vida”, afirma a oficiala.

Entre março e agosto de 2016, Auri Marta fez a mastectomia, o tratamento de quimioterapia e iniciou a hormonioterapia, que tem duração prevista de dez anos. “Um dos aprendizados que o câncer me deu foi de que nem sempre podemos mudar a realidade, mas cabe a nós transformar a situação. Eu fiz dele uma ‘ponte’ para uma vida mais leve, mais feliz, principalmente durante o tratamento. Consegui!”, comemora. A oficiala destaca ainda a importância da prevenção e deixa uma mensagem para outras mulheres: “quem ama, se cuida, se toca, e nesta luta ninguém está sozinha. Sozinhas somos pétalas, juntas somos rosas”.

A oficiala de justiça Ielva Stela de Oliveira Viana descobriu o câncer de mama quatro meses após sofrer um infarto, em novembro de 2016. Através do autoexame, ela detectou um grande nódulo próximo à axila esquerda. O diagnóstico veio em março de 2016. “O infarto que sofri foi a maneira que Deus usou para eu descobrir o CA. Se o cardiologista não tivesse insistido em me mandar ir à ginecologista, talvez, hoje, eu não estivesse aqui pra contar a história”, narra.

Como parte do tratamento, Ielva precisou fazer mastectomia, quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia por cinco anos. Nesse período, ela sofreu algumas intercorrências como complicações do pós-cirúrgico, neuropatia nas mãos e nos pés e insuficiência cardíaca agravada pela quimioterapia. Ao relembrar o que sentiu nessa fase da vida, a oficiala comenta que teve “um medo grande de não sobreviver e não me despedir de meu filho que mora longe. Por outro lado, me ajoelhei e pedi a Deus que me desse força para passar por tudo, sem revolta e sem desespero”.

Hoje, curada do câncer, Ielva só tem motivos para comemorar e agradecer. “Sinto que sou uma pessoa um pouco melhor, pois presenciei grandes sofrimentos durante o tratamento. Vi que podia fazer a diferença e acho que consegui ajudar algumas pessoas com minha alegria durante as sessões de quimio e radioterapia. Nunca perdi a fé nem a alegria de viver”, testemunha.

Prevenção: o melhor remédio

Segundo o Ministério da Saúde, 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis, como: praticar atividade física; alimentar-se de forma saudável; manter o peso corporal adequado; evitar o consumo de bebidas alcoólicas; amamentar; e evitar uso de hormônios sintéticos, como anticoncepcionais e terapias de reposição hormonal.

Além dessas medidas de prevenção, a campanha do Outubro Rosa alerta para a importância do diagnóstico precoce, pois, quando detectado nas fases iniciais, a doença aumenta a possibilidade de tratamentos menos agressivos e com grandes chances de cura. Para isso, é fundamental a realização do autoexame. Aproximadamente, 80% dos casos são descobertos pelas próprias mulheres. O Ministério da Saúde recomenda ainda que, mulheres entre 50 e 69 anos, façam mamografia de rastreamento a cada dois anos.

É importante lembrar que, embora as mulheres sejam quase a totalidade das pessoas afetadas, 1% dos casos de câncer de mama acontece entre os homens.

Sobre o Outubro Rosa

Esse movimento internacional foi criado no início da década de 1990 nos Estados Unidos. A data tem como objetivo compartilhar informações e promover a conscientização sobre o câncer de mama, proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade. No Brasil, foi sancionada a Lei 13.733/2018, que dispõe sobre atividades da campanha Outubro Rosa. Uma delas é a iluminação cor-de-rosa de prédios públicos e monumentos nesse período, reforçando a importância dessa campanha para a população.

HomenagemSindojusSindojus CearáOficiais de Justiça do CearáOutubro Rosaprevenção ao câncer de mama
SIGA-NOS:

Conteúdos Relacionados