Apoio ao Sindjustiça

Sindojus participa de ato contra remoções compulsórias

O presidente do Sindojus Vagner Venâncio destacou que a única saída para o déficit de servidores é a nomeação imediata de aprovados

01/08/2018
Manifestação foi realizada na manhã de hoje no Palácio da Justiça, bairro Cambeba

Em solidariedade aos dois diretores do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Ceará (Sindjustiça-CE) removidos compulsoriamente pela administração do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), o Sindicato dos Oficiais de Justiça do Ceará (Sindojus-CE) participou, na manhã de hoje, da manifestação realizada pelos técnicos e analistas judiciários no Palácio da Justiça, bairro Cambeba. Os Oficiais de Justiça não ficaram de fora. Ao todo, seis foram removidos compulsoriamente pela atual administração do Tribunal de Justiça, um deles dirigente sindical. Porém, após mobilização da categoria, os efeitos da portaria foram suspensos.

Vagner Venâncio, presidente do Sindojus, destacou que a entidade é totalmente contrária às remoções compulsórias, uma vez que mostram a incapacidade da administração de nomear aprovados. “Não faz sentido remover o servidor contra a vontade dele para uma comarca deficitária gerando carência em outra. Só com a nomeação de aprovados será possível resolver essa situação”, frisou.

Temporárias

Com relação às remoções temporárias, disse são apenas paliativos, pois resolve o problema momentaneamente, gerando outro no local de onde aquele oficial ou oficiala saiu, sobrecarregando os que ficam. “No dia em que o oficial terminar o seu período na comarca para onde fora removido temporariamente, a demanda voltará a ficar acumulada, então a única saída é nomear aprovados”, enfatizou.

Nesta gestão, Vagner ressaltou que o Sindojus estará com o Sindjustiça nas demandas que sejam comuns a todos os servidores. “Nós estaremos juntos na luta, nas mobilizações”, afirmou. 

Oficiais de JustiçaSindojusservidoresPoder Judiciárioatomanifestaçãoremoção temporáriaremoção compulsóriaperseguição sindicalSindojustiçamobilização

Deixe seu Comentário

Você deve estar logado para fazer um comentário. Clique aqui para entrar.