Paralisação nacional

Contra o retrocesso e a retirada de direitos: todos às ruas!

O intuito é barrar as nefastas reformas previdenciária e trabalhista propostas pelo governo de Michel Temer

19/04/2017

Diante do atual cenário político e econômico de ameaça de retirada de direitos e com intuito de barrar as nefastas Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Previdência, Trabalhista e o projeto de Terceirização recentemente sancionado por Michel Temer, o Sindicato dos Oficiais de Justiça do Ceará (Sindojus-CE) convoca toda a categoria para o grande ato que será realizado dia 28 de abril, às 9 horas, na Praça da Bandeira, Centro.

Se for aprovada nos moldes que estão sendo propostos pelo governo federal, a reforma da Previdência (PEC 287) praticamente vai tirar dos trabalhadores o direito à aposentadoria. Mesmo que consiga acumular 49 anos de contribuição, ainda assim o máximo que poderá receber é o teto salarial do INSS – atualmente de R$ 5.531,31.

Este é um dos maiores ataques aos direitos trabalhistas, previdenciários e sociais da história do Brasil. Como forma de repúdio, entidades sindicais de todo o país e a sociedade civil organizada se uniram para realizar esse grande ato. Participe e juntos vamos parar o Brasil!

Suporte

Oficiais e oficialas de Justiça do Interior que desejarem participar contarão com apoio logístico e ressarcimento do deslocamento. A categoria estará caracterizada com o colete usado no período da greve. A diretoria solicita que, quem tiver colete em casa, que leve para a manifestação. Em decorrência do horário, recomenda-se o uso de roupas leves.

Conheça as principais consequências da PEC 287:

– A idade mínima para conseguir aposentadoria passa a ser de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres, e tempo mínimo de contribuição de 25 anos. Hoje, homens podem se aposentar aos 60 e mulheres aos 55 anos.
– Para conseguir o valor máximo do benefício, a pessoa terá de trabalhar 40 anos.
– O valor mínimo do benefício será de 76% da média salarial.
– A idade mínima para pagamento de benefício assistencial a idosos pobres, que atualmente é de 65 anos, vai superar os 70 anos.
– A pessoa também não poderá acumular benefícios, como pensão por morte e aposentadoria.
– Igualado aos demais, o trabalhador rural só vai poder se aposentar aos 65 anos.
– Os militares, policiais militares e bombeiros foram poupados das novas regras e poderão acumular benefícios.
– Os parlamentares entrarão nas regras gerais da reforma, mas terão uma transição diferente, ainda não divulgada.
Professores se aposentam com as mesmas regras dos demais trabalhadores.

Serviço:
Paralisação nacional contra as reformas do governo federal
28 de abril (sexta-feira)
9 horas (concentração a partir das 8h)
Praça da Bandeira
Rua Meton de Alencar, Centro (em frente à Faculdade de Direito da UFC)

Reforma da PrevidênciaatoReforma Trabalhista28 de abrilParalisação nacionalgreve geralproposta da terceirizaçãoPraça da Bandeiraconvocação geral

Deixe seu Comentário

Você deve estar logado para fazer um comentário. Clique aqui para entrar.